Entenda qual o momento mais indicado para rever o seu plano de previdência e como você deve fazer isso, seguindo alguns critérios básicos

Saiba qual é o melhor momento de rever o seu plano de previdência

Da redação:

Ter um bom plano de previdência privada hoje em dia é uma questão que vai muito além de realizar um bom investimento. Se tornou uma forma de garantir uma vida mais tranquila na aposentadoria ou um futuro mais estável para os seus filhos. A cada ano que passa, a previdência vem tomando lugar da antiga poupança e suprindo as expectativas de quem realiza esse tipo de aplicação.

 

Apesar de crescer no mercado financeiro cada vez mais, muitas pessoas ainda têm dúvida sobre quando escolher VGBL ou quando ficar no PGBL. Como os dois são as únicas opções desse tipo de investimento, é preciso conhecer bem todas as características de cada um para saber qual melhor se aplica para sua situação e o seu perfil.

 

Assim, é possível se deparar com algum momento na vida onde a sua condição não se adeque mais ao PGBL, por exemplo, sendo preciso rever as condições do fundo e também as suas próprias escolhas para o seu futuro financeiro.

 

Quando é o momento de reavaliar o seu plano? Confira a seguir a resposta para todas as suas dúvidas.

Por que rever o seu plano de previdência?

Apesar de ser uma reserva para qualquer fim, o objetivo principal da maioria das pessoas que investem em previdência privada é garantir uma aposentadoria tranquila e sem dor de cabeça relacionada a dinheiro.

 

Entretanto, quem fez o seu plano em época de juros altos e não reviu nada desde então pode estar em uma situação desfavorável.

 

Isso porque, há algum tempo, a taxa Selic tem estado em sua mínima histórica, batendo 2% ao ano, além do juro real no Brasil estar pouco acima de 1%.

 

Dessa forma, a situação atual indica que existem altos riscos de que você receba uma remuneração inferior àquela simulada na época da contratação do plano.

 

Ou seja, está na hora de rever as suas opções de investimento. Mesmo que a Selic retome um bom patamar daqui a um certo tempo, atualmente vivemos uma realidade de juros baixos e, dificilmente, os números retornarão ao patamar que estavam – no mínimo, dois dígitos.

Cenário favorável para a revisão do plano

Por conta desse cenário atual, é necessário agir, pois ficar parado é completamente desfavorável.

 

Infelizmente, as condições do mercado financeiro mudaram e está na hora de rever o seu planejamento.

 

Atitudes como essa devem ser tomadas para que você não seja pego de surpresa lá na frente, ao se deparar com um patrimônio menor do que estava esperando. Assim, existem algumas atitudes a serem tomadas para realizar a revisão da melhor forma. Confira abaixo:

Refaça as simulações

Uma das primeiras atitudes – senão a primeira – a ser feita é refazer as simulações que realizou antes do início do investimento, mas dessa vez, incluindo números mais condizentes com a realidade atual, levando em consideração os juros mais baixos.

 

Especialistas recomendam que os investidores realizem mensalmente uma checagem rápida em sua carteira de investimentos, com o objetivo de acompanhar, rever as projeções e verificar se todos os números estão de acordo com o que foi definido no início.

 

Manter esse hábito é essencial para perceber a mudança de parâmetros ao longo do tempo, e então, tomar as decisões de acordo com a nova situação.

 

Assim, após refeitas as simulações, é possível que você perceba que, para chegar ao montante de acumulação desejado, seja necessário atrasar em alguns anos a sua aposentadoria.

Considere planos com maior risco

A grande maioria dos planos de previdência privada no Brasil está voltada para ativos de renda fixa, com perfil extremamente conservador.

 

Apesar de ser o cenário mais seguro e, historicamente, os brasileiros não apresentarem um perfil mais agressivo nos investimentos, não faz muito sentido manter uma aplicação de prazo tão grande com um nível de conservadorismo extremo.

 

Posturas como essa apenas prejudicam sua rentabilidade e devem ser evitadas. Hoje em dia, já existem opções de fundos no mercado que replicam a estratégia de fundos multimercados e de ações renomados, convergindo para uma carteira mais diversificada e maior potencial de rentabilidade satisfatória.

Fique de olho nas taxas

Uma terceira forma de incrementar a rentabilidade da sua previdência privada é baixando os custos quando possível. Em planos de gestão passiva, como é o caso, o máximo sem ser abusivo a ser cobrado por taxa de administração é 1%.

 

Já aqueles planos que apresentam taxa de carregamento, devem ser evitados, visto que já existem opções que não cobram esse tipo de taxa.

Se possível, aumente o valor dos aportes

Em último lugar, é possível rever a possibilidade de aumentar o valor dos aportes mensais ou anuais que você realiza na sua previdência privada.

 

Tomar esse tipo de atitude é necessário quando você realiza que não conseguirá atingir seu objetivo com a mesma quantia no tempo dos juros altos.

 

Essa é uma boa opção principalmente para quem não quer apostar em investimentos mais arriscados.

 

Dessa forma, é possível notar que existem caminhos para contornar os juros baixos e a queda da taxa Selic sem comprometer a sua previdência. Para isso, é necessário estar sempre atento às condições do seu plano e revê-las sempre que possível.

Sei que não fazemos esse tipo de chamada, mas achei que aqui cabia perfeitamente!

Leave a Reply