Conselho de Segurança discute aumento de ocorrências em Paranavaí

Os furtos e roubos sempre foram motivo de preocupação para qualquer cidadão. Porém, a população de Paranavaí tem percebido que nos últimos dias a situação vem piorando. Esse foi um dos principais assuntos da reunião do Conselho Comunitário de Segurança de Paranavaí, realizada no prédio da Aciap na quarta-feira, dia 15.

 

Para o presidente do conselho, Michael Heckmann, é importante trabalhar em conjunto e conter os excessos que vem acontecendo na cidade. “Sabemos que nos últimos 30 dias os números de roubos e ocorrências aumentaram. Pode ser que a recessão econômica do país seja uma causa direta, mas precisamos conter esse crescimento”, disse.

 

Para o comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar, Major Márcio, “o aumento de ocorrências não é uma peculiaridade de Paranavaí. É uma situação geral, nenhuma cidade conseguiu manter seus números estáveis. Com o agravamento da crise financeira e carcerária que já está instalada pelo país, nossa preocupação aumenta a cada dia”, ponderou.

 

O Major apresentou números que comprovam um aumento significativo nas ocorrências. “Do dia 1º de janeiro até o dia 14 de fevereiro do ano passado, tivemos 38 roubos e 82 furtos. Neste mesmo período em 2017, tivemos 65 roubos e 135 furtos. É um crescimento que nos preocupa, por isso, para combater o crime estamos fazendo estudos técnicos e direcionando nossas rondas. Somente neste ano já fizemos 185 prisões em Paranavaí”, ressaltou Márcio.

 

Segundo o Delegado-chefe da 8ª SDP, Luiz Carlos Manica, foram realizadas 975 prisões em 2016. “Temos enfrentado muitas dificuldades para conseguir manter os presos no presídio, mas não por conta de fugas. Infelizmente, existem brechas nas leis e muitos presos são reincidentes, já foram presos diversas vezes. Outra situação é quanto aos presos que são condenados e transferidos para presídios em outras cidades, mas escapam e voltam a praticar crimes em Paranavaí”, explicou.

 

Para o Delegado-chefe, o trabalho entre a Polícia Militar e a Polícia Civil de Paranavaí é afinado e, apesar do alto número de prisões, não há resultados positivos. “A função da prisão é fazer o criminoso pagar pelos seus atos e sair ressocializado, porém, notamos que isso não vem acontecendo. É mais fácil ele sair ainda pior da maneira que entrou, do que tentar conviver normalmente com a sociedade”, lamentou Manica.

 

Videomonitoramento – Outro assunto debatido na reunião foram as câmeras de videomonitoramento instaladas na cidade. O município realizou uma licitação para contratar o serviço de manutenção. “Acreditamos que em até 30 dias as câmeras estejam funcionando em sua plenitude. Já tivemos três reuniões com a empresa vencedora da licitação e, coincidentemente, o trabalho já foi iniciado hoje”, afirmou o secretário interino de Proteção à Vida, Patrimônio Público e Trânsito, Hugo Braga.

 

“O sistema tem confiabilidade e é de qualidade. Mesmo com as dificuldades que estamos enfrentando, não precisamos de grandes investimentos para reparos. Em breve vamos ter um sistema operando e a Polícia Militar também poderá usar as câmeras”, disse o engenheiro eletricista da secretaria de Desenvolvimento Urbano, Fábio Havro.

 

Fonte: SECOM

 

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*