Paraná terá mais R$ 54,5 milhões por ano para atendimento à saúde

O deputado estadual Tião Medeiros (PTB) participou nesta segunda-feira (17), em Curitiba, da solenidade de assinatura de portarias que habilitam o Estado do Paraná a receber R$ 54,5 milhões por ano do Ministério da Saúde para qualificação de serviços de saúde. Até então, os serviços eram custeados parcialmente com recursos do Governo do Estado. Os documentos foram assinados pelo governador Beto Richa e pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. Com isso, o Paraná poderá aplicar o montante em outras iniciativas, como a ampliação do mutirão de cirurgias, que tem financiamento do tesouro estadual.

Uma antiga demanda do Paraná junto ao governo federal está sendo atendida, que é a ampliação no Estado do programa Rede Cegonha, de atenção materno-infantil. Haverá credenciamento de leitos de UTI e mais recursos para esse programa. Também foram anunciados recursos para custeio de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de nove municípios.

Na mesma solenidade, o governador anunciou R$ 5,1 milhões, do Governo do Estado, para a aquisição de equipamentos destinados aos hospitais Santa Rita, de Maringá, e Angelina Caron, de Campina Grande do Sul.

“A assinatura representa mais investimentos para a população que mais precisa de atendimento em saúde”, lembrou Tião Medeiros. Os recursos vão possibilitar a continuidade de programas executados pelo Estado, como o de apoio aos hospitais públicos e filantrópicos que fazem o atendimento pelo Sistema Únicos de Saúde (Hospsus), o programa voltado a melhorar à atenção primária à saúde, feita nos municípios (Apsus) e a utilização das aeronaves do Estado para o atendimento de urgência e emergência e transporte de órgãos para transplantes.

O governador afirmou que o repasse anual de recursos do Governo Federal para o Paraná, corrige uma dívida do Ministério da Saúde com o Estado. “São importantes investimentos para a saúde do Paraná vindos de Brasília, coisa que há muito tempo não acontecia”, afirmou.

O repasse dos recursos se inicia já neste mês de outubro e possibilitará a habilitação de 24 entidades filantrópicas, entre hospitais e santas casas, no valor anual de R$ 39,1 milhões, para a execução de serviços de saúde. Os recursos vão permitir a ampliação de atendimento da Rede Cegonha, programa do governo federal de atenção materno-infantil, e o credenciamento de 84 leitos de UTI adulto, neonatal e pediátrica de hospitais paranaenses, além de outros serviços.

Outros R$ 15,4 anuais são para o custeio de nove UPAs, que foram inauguradas há cerca de um ano e funcionavam sem a contrapartida federal, sendo custeadas pelo Governo do Estado.

Com as habilitações, 12 novos hospitais em todo o Estado receberão recursos federais para UTIs adulto e neonatal, dentro do Rede Cegonha. Pelo programa, o governo federal paga valores maiores para os hospitais pela prestação do serviço de atendimento às gestantes e bebês.

Com informações da Agência de Notícias do Paraná

sampaio

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*