Igor Rudson de Souza matos, preso em Paranavaí na sexta-feira, e Pedro Ferreira da Silva Filho confessaram que estupraram uma menina de 11 anos e a tia dela, de 31 anos, que na sequencia foi morta por esganadura.

Autores de crime bárbaro em Sarandi são apresentados em Maringá, veja os detalhes.

Foram apresentados na manhã desta segunda-feira (25) os dois autores do crime que chocou Sarandi e região na última semana. Igor Rudson de Souza matos, 26 anos, preso em Paranavaí na sexta-feira, e Pedro Ferreira da Silva Filho, de 25 anos, preso em Sarandi no sábado, confessaram que estupraram uma menina de 11 anos e a tia dela, de 31 anos, que na sequencia foi morta por esganadura. O crime ocorreu na madrugada de quinta-feira (21). A polícia ainda investiga a participação de um terceiro assaltante.

“Eles confessaram a participação com riqueza de detalhes e eles também dão a possibilidade de ter tido um terceiro autor. Então nesse caso as investigações prosseguirão para a identificação desse possível terceiro autor”, afirmou o delegado de Sarandi, Reginaldo Caetano da Silva, que comandava as investigações.

O delegado conta que a camiseta deixada por Igor na cena do crime, junto com o retrato falado produzido por um perito da Polícia Federal, ajudou na identificação dos criminosos. “A divulgação da imagem desta camiseta foi fundamental, porque foi reconhecida por pessoas do convívio dele e essa informação chegou até a Polícia Civil”, observou.

“A partir daí, baseado na informação de informantes e métodos de investigação convencionais, nós chegamos a alguns nomes, também com a participação do Departamento de Inteligência do Estado do Paraná e com a participação da Polícia Federal na produção e divulgação do retrato falado. Na sequência, no segundo dia, tendo ele como um dos suspeitos, ele foi procurado em alguns endereços de Sarandi e Maringá, mas não foi encontrado. Na noite de sexta-feira, esse sujeito foi preso em Paranavaí pela Polícia Militar depois de ter praticado um furto, e a semelhança era muito alta. A partir daí nós diligenciamos até Paranavaí. A Polícia Civil de lá conseguiu, depois da prisão dele, prender o celular da vítima, que ele havia deixado nas mãos de terceiro, em um hotel onde ele havia passado. Aí no sábado, pela manhã, conseguimos uma autorização judicial e com a participação dele nas diligências conseguimos a identificação do segundo indivíduo. Eles foram interrogados ainda no sábado e confessaram a participação no crime”, detalhou o delegado.

De acordo com ele, o crime foi motivado pelo consumo de drogas. “Eles contaram que estavam consumindo drogas e em um determinado momento, por falta de dinheiro para a droga, eles saíram e fizeram uma escolha aleatória passando defronte à residência das vítimas. Apenas um deles praticou a violência sexual. Eles entraram na residência para fins de subtração de valores e a vítima reagiu tanto com relação à subtração tanto com relação à violência sexual, desse modo ele usou de força física e praticou a morte da mulher”, acrescentou Silva.

Igor tinha passagens por furto, furto qualificado e estava preso até pouco tempo por roubo. Já Pedro tinha passagens por receptação e furto. Um deles está preso preventivamente e o outro temporariamente e irão responder por roubo majorado, estupro com resultado morte e estupro de vulnerável. “São crimes dos mais graves existentes na legislação brasileira, dois deles com penas de até 30 anos de reclusão”, concluiu o delegado.

A polícia não informou onde os presos ficarão detidos por se tratar de um crime de comoção popular.

Mais Fotos:

AlavbBN_2LTBsr3DnpLxQCxxJumXNkCAo39A-ctMYzlF paranavai-noticia-galeria-g-25012016-1532561453743176 paranavai-noticia-galeria-g-25012016-1533001453743180 fonte: Portal Cidade Paranavaí

(Fotos: Divulgação PC / André Almenara)

IJD-PROJETOS-1

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*