Sete pessoas morreram entre às 18 horas de sexta-feira e a meia-noite de domingo em 79 acidentes registrados nas rodovias sob responsabilidade do governo do Estado.

O balanço parcial foi repassado pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE). A operação nas estradas devido ao feriado prolongado de Carnaval termina amanhã, ao meio-dia. De acordo com a PRE, 94 pessoas ficaram feridas e dois pedestres foram atropelados durante o final de semana. Até domingo, 5.389 motoristas foram flagrados em infrações captadas por imagens de radares nas rodovias.
A 2ª Companhia da PRE, com sede em Londrina, registrou 15 acidentes com 17 feridos e uma morte no Norte Pioneiro. No sábado, o condutor de um veículo Cross Fox, com placas de Pinhalão, colidiu com um caminhão F4000 de Congonhinhas na PR-435, em Ibaiti. O motorista foi identificado pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina como Victor Hugo Zirondi Rodrigues, 22 anos.

Ontem, foi sepultado no Cemitério Parque das Oliveiras, em Londrina, o corpo da professora de marketing da Pontifícia Universidade Católica (PUC), Priscila Stawski Rambalducci, de 32 anos, que morreu na manhã do último domingo em uma colisão contra um caminhão na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná. O marido da professora, Carlos Henrique Camargo Pereira, de 35 anos, também estava no veículo Honda Civic, com placas de Curitiba, e faleceu no local do acidente. De acordo com a concessionária Autopista Litoral Sul, a rodovia federal ficou interditada nos dois sentidos por, aproximadamente, três horas para limpeza após o vazamento de 30 mil litros de óleo vegetal transportado pelo caminhão de Dourados (MS). A concessionária ainda realizou ontem a remoção do veículo de carga que permaneceu no canteiro central da BR-376 após o acidente.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não divulgou balanço parcial da operação, mas o inspetor Sérgio Oliveira adiantou que nenhum acidente com morte foi registrado no Norte e Norte Pioneiro. De acordo com ele, o fluxo de veículos é menor do que o período de Carnaval do ano passado, o que colabora com a queda no número de acidentes. “Os valores das multas subiram, como no caso da infração por ultrapassagem em local proibido. Quando o motorista é multado, ele passa a dirigir com mais precaução. Por isso, os condutores estão mais conscientes a cada ano”, acrescentou o inspetor da PRF

Fonte:Folha WEB

IJD PROJETOS

Leave a Reply