Detran-PR afirma que 'bancos não estão aderindo ao processo, afetando diretamente a população'. (Foto Banda B)

Sem como financiar veículos, lojistas e clientes protestam em carreata até Detran-PR

Lojistas e clientes se reuniram no Parque Barigui para uma carreata na manhã desta terça-feira (9) até o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), no bairro Tarumã, em Curitiba. Os contratos de financiamentos e gravames de veículos passaram por recentes mudanças, o que ocasiona falta de pagamento de bancos e bloqueio de documentação aos novos compradores de veículos. Segundo os lojistas, 80% das negociações de carros são na modalidade de financiamento e o comércio de compra e venda está sendo afetado diretamente pela mudança. No entanto, por meio de nota oficial,  o Detran-PR afirma que ‘bancos não estão aderindo ao processo, afetando diretamente a população’.

 

O buzinaço começou às 10 horas no estacionamento do Parque Barigui, com dezenas de carros. O lojista Alan Ricardo criticou a alteração e disse que, sem receber dos bancos, diversas empresas passaram a atrasar pagamentos internos. “Queremos que o Detran-PR recue porque ele substituiu a empresa que administrava os gravames do Paraná e, simplesmente, sem dar nenhuma informação, colocou uma empresa que não tem qualidade e conhecimento para fazer isso. O banco não consegue financiar os carros para os clientes porque fica sem o gravame, que é a garantia que ele tem. Com isso, o cliente desiste da compra porque quem compra um carro quer levar o carro embora, e o lojista não pode entregar sem receber do banco. Já estamos com salários de funcionários atrasados, fornecedores, também”, alertou, em entrevista à Banda B.

 

O gravame ocorre quando o veículo é financiado, impedindo que o proprietário realize transferência ou comercialize de forma regular, antes de quitar o contrato. No momento da compra, o banco e/ou financeira efetua o pagamento para o lojista ou concessionária com documento alienado ao cliente. Esse trâmite não está sendo realizado em todo Paraná.

Clientes

Além dos lojistas, clientes que compraram veículos em lojas e concessionárias também foram prejudicados. Alceu Junior, 32 anos, é administrador de empresa, comprou um HB20 na concessionária, no último fim de semana, e não consegue o documento do carro. “Troquei de carro, dei uma entrada e fiz o financiamento no sábado, ia retirar o carro na segunda-feira. Cheguei lá e os funcionários não puderam me entregar porque tiveram problema com o Detran-PR e as financiadoras, com o documento. Conversando com o pessoal, consegui liberar meu carro para não ficar sem. Mas estou sem documentos e aguardando essa regularização para emplacar o carro”, contou.

Com viagem marcada para o feriado de Nossa Senhora Aparecida, Junior critica a delonga no sistema e a falta de resolução. “Minha família mora em outra cidade e me programei visitá-la agora no feriado, já há alguns meses. Infelizmente, sem emplacamento, não consigo viajar. Situação ruim porque eu comprei o carro, dei entrada, não sabia dessa situação e agora fico nas mãos do Estado, que não está cumprindo com a obrigação”, criticou.

Lojistas

Para Marcos Ramos, presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sindicov-PR), os bancos estão se negando a efetuar o pagamento para a empresa que venceu a licitação, por não agir em sintonia com as regras. “Os financiamentos de veículos pararam em relação a uma lei da Denatran, houve uma concorrência no Detran-PR. Era para entrar mais empresa na licitação e acabou entrando apenas uma. Essa empresa não passa no compliance dos bancos, ou seja, os bancos se negam a fazer a operação do registro com essa empresa. Estamos com o Estado do Paraná inteiro sem financiar nenhum tipo de veículo, novos ou usados”, disse à Banda B.

Além disso, o presidente alerta para um aumento expressivo no valor da taxa, sem razão aparente. “Se existia uma empresa que fazia por R$ 116, por que uma nova licitação para outra cobrar R$ 350? Nós fomos em vários órgãos do governo, Assembleia, Ministério Público, conversamos com muita gente, mas não estamos conseguindo chegar até o Detran-PR”, explicou.

Detran-PR

Por meio de nota oficial, publicada no site da autarquia, o Detran-PR reiterou que a ‘nova regulamentação sobre o serviço de registro eletrônico de contratos de veículos, adquiridos por meio de financiamento, arrendamento mercantil ou outra modalidade que exija a anotação legal de alienação no documento do veículo, se encontra de acordo com as normas que regulam a matéria.

Desta forma, atende Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) 689/2017 que estabeleceu as novas regras para o serviço de registro eletrônico de contratos, não permitindo que a Federação Nacional de Seguros Privados (Fenaseg/B3) continue operando concomitantemente com o registro de contratos e anotação de gravame como era feito anteriormente.

O Detran PR publicou o edital 001/2018 para credenciamento de empresas especializadas em registro de contratos. A partir de 01 de outubro, o serviço está sendo prestado por uma empresa credenciada, e outras se encontram em processo final de credenciamento, visando trazer opções de escolhas para o sistema financeiro.

Esclarecemos que, conforme registro em nossos sistemas, já são 122 instituições financeiras habilitadas na nova forma de sistematização, a maior parte de menor porte. Destacamos que a maioria dos grandes bancos não estão aderindo ao processo, afetando diretamente a população. Entendemos ser essa a principal razão dos problemas”, finaliza.

Fonte: Banda B

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*