Santa Casa de Paranavaí forma mais 8 especialistas em sua Residência Médica

“Se tudo não foi da forma que imaginávamos ou sonhávamos, porque a vida sempre nos impõe dificuldades e desafios, podemos afirmar, com certeza, que construímos juntos um grande legado. Grandes transformações positivas ocorreram em nossas vidas. As dificuldades e desafios sevem para nos fortalecer”.

A afirmação é do cirurgião Jorge Luiz Pelisson, presidente do Conselho de Residência Médica da Santa Casa de Paranavaí, e foi feita na noite de quinta-feira, durante a cerimônia de entrega de certificados a oitos novos especialistas formados no hospital. A solenidade aconteceu no auditório da ACIAP, e contou com a presença de preceptores, diretores da Santa Casa. Amigos e familiares dos formandos.

Com esta nova formatura, já são 14 especialistas formados pela Santa Casa, nas especialidades de cirurgia geral, pediatria, clínica médica e oftalmologia. Este ano de 2017, entre os residentes de primeiro ano (R1), segundo (R2) e terceiro (R3) e com a abertura de pós para novas especialidades (anestesiologia e ginecologia e obstetrícia) 25 residentes estarão circulando pelo hospital, conforme revelou no deu discurso o presidente da instituição, Renato Augusto Platz Guimarães, reforçando o corpo clínico, já que trata-se de médicos formados, com CRM, que estão em processo de aperfeiçoamento e especialização, mas capacitado para acompanhar os pacientes.

“É, sem dúvida, um ganho extraordinário para o nosso hospital. A Santa Casa chega aos seus 60 anos tendo muito que comemorar e certamente a Residência Médica é uma das principais conquistas dos últimos anos”, disse o presidente em seu pronunciamento. Ele lembrou que ano passado, quando se formou a primeira turma de residentes, “manifestava a confiança de que este programa teria continuidade e avançaria, especialmente pela competência, dedicação e comprometimento do nosso corpo clínico, que aceitou o desafio. E, sem nenhuma remuneração adicional, nossos médicos se tornaram preceptores e coordenadores das especialidades”.

O diretor-geral da Santa Casa, Héracles Alencar Arrais, por sua vez, disse que a Santa Casa vem promovendo há 60 anos, “o bem-estar físico, psíquico e social do ser humano” e que “dentro desta visão e missão, através de seus diretores e corpo clínico, entendeu a necessidade de desenvolver o ensino e treinamento voltados para a especialização técnica e profissional do médico”. Ele ressaltou que o programa seria “um grande desafio”, mas que graças ao trabalho de todos os envolvidos no processo “confirmamos hoje neste evento, que estamos no caminho certo”.

EXPECTATIVAS SUPERADAS – A médica Liciane Arpini Zeni, que concluiu a Residência em Clínica Médica (especialização necessária para a outra, a de UTI, que ela vai fazer agora), falando em nome dos formandos, destacou a importância da residência na formação do médico. “é a modalidade de ensino médico, caracterizado por treinamento em serviço, sob supervisão, em tempo integral, que constitui a melhor maneira de aprendizado e conhecimento profissional em medicina. Asseverou que a residência contribui na aquisição progressiva de conhecimento científico, prática clínica, senso de responsabilidade, iniciativa, julgamento, avaliação de preceitos e normas éticas e no desenvolvimento de espírito crítico.

A formanda disse que neste processo, residente e preceptor devem “no relacionamento diário com os pacientes, procurar-se com a formação técnica e ética para atingirem a qualidade profissional em plenitude. Qualidade esta buscada pela Santa Casa de Paranavaí ao instituir o programa de residência médica, a qual tem como maior beneficiado a população”, pois através dos residentes dispõe de maior consulta especializada.

Em outro trecho de seu pronunciamento ela cumprimentou a decisão de implantar o programa de residência Médica na Santa Casa e foi categórica: “Sabíamos de quase tudo que teríamos que enfrentar. Quase tudo porque certamente nossas expectativas foram superadas”.

Liciane Arpini agradeceu em seu pronunciamento aos “pais, maridos, esposas, namorados e familiares. E também aos preceptores, enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas dentre outros que participam das equipes multiprofissionais. E de forma bem humorada, falou de cada um dos formandos.

ÂNIMO – Em nome dos preceptores e supervisores, o cirurgião Leônidas Fávero Neto falou da satisfação do Programa de Residência Médica, que considerou “uma vitória”. Segundo ele, em 2013, quando começaram os estudos para a implantação, o programa de residência médica “parecia algo absolutamente distante, praticamente inalcançável”.

Fávero falou do aprendizado em ser um preceptor. E neste processo ele e seus colegas, “além de realizar a preceptoria como instrutor, educador ou mentor, temos que nos transformar em amigo mais velho, um orientador não para a Medicina, mas sim para a vida”.

Assim como o presidente da Coreme, Jorge Pelisson, que enalteceu o fato de vários formandos já terem sido aprovados em subespecialidades, o que demonstra a qualidade do ensino que receberam na residência da Santa Casa, Fávero Neto. “Estas conquistas dos residentes nos dão ânimo para continuarmos. Enchemo-nos de orgulho e seguimos em frente, sabemos que temos muito a melhorar, mas também com a certeza de que estamos no caminho certo”.

Após os pronunciamentos, os formandos receberam seus certificados de especialistas dos supervisores de cada residência. O cardiologista Antonio Carlos Aoki entregou o título de especialistas em Clínica Médica às formandas Liciane Arpini Zeni e Laís de Vico; Salete Mezaroba Pelisson às novas pediatras: Karina Sirena Vandresem Zecheto e Dalilla Silva Santos; Leônidas Fávero Neto aos cirurgiões Guilherme Nunes e Audiellys Teixeira Pim e Eugênia Ceres Costa Monteiro aos oftalmologistas Adriano Maurício Prigol e Liria Bianca do Nascimento.

 

Mais fotos:

Fonte: Assessoria de imprensa

Leave a Reply