Foto: Fabiano Vaz Fracarolli/ Diário do Noroeste

Região já superou meta de vacinação

Restando três dias para o fim da campanha de vacinação contra a gripe, incluindo H1N1, a região de Paranavaí, composta por 28 municípios, já atingiu a meta inicial de imunizar pelo menos 80% da população estimada nos chamados grupos prioritários.

De acordo com o levantamento fechado ontem no começo da tarde, o índice de imunização atingiu 82,65% do total de 82.649 pessoas, ou seja, 68.310 doses aplicadas.

O prazo termina nesta sexta-feira. Até lá, os postos de saúde de todas as cidades deverão atender entre 08 e 17 horas. O Ministério da Saúde estabelece a prioridade para grupos considerados mais vulneráveis.

São prioritários: Crianças até 5 anos; Idoso a partir dos 60 anos; População carcerária e funcionários do sistema prisional; Adolescentes em medidas socioeducativas; Gestantes; Mães com até 45 dias após o parto; População indígena.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da OMS. Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Coordenador da Vigilância Epidemiológica pela 14ª Regional de Saúde, Walter Sordi Júnior reitera a importância da vacinação. Lembra que não haverá prorrogação do prazo. Daí, a necessidade de procurar uma unidade dentro da campanha.

GESTANTES – Um dos grupos que preocupam por conta da procura aquém do esperado é o de grávidas. Até o momento há cidades que vacinaram pouco mais da metade da demanda estimada. É o caso de Terra Rica, que nesta clientela imunizou somente 41,6% da população estimada de 209 mulheres.
Sordi Júnior analisa que este grupo ainda tem medo da vacinação, o que não se justifica. Há ainda uma segunda avaliação de que em algumas idades a população estaria superestimada.

Enquanto esse grupo específico causa preocupação, há cidades que já fecharam 100% da meta estimada. São João do Caiuá, por exemplo, apresentava ontem cobertura de 100% da população estimada – 561 pessoas.

PARANAVAÍ – A cobertura em Paranavaí, a maior cidade da região, atingiu no último levantamento 78,94% da população prevista de 29.126 pessoas. Ontem à tarde o movimento continuava frequente nas unidades de saúde, embora sem filas.

Conforme Sordi Júnior, não haverá falta de doses. O último lote deve chegar hoje e ser distribuído para as cidades. Há duas semanas faltou o produto por conta da dificuldade de repasse por parte do Ministério da Saúde. Informação divulgada pelo Ministério anteontem é de que não haverá nova falta e os últimos lotes já estão em fase de distribuição.

BRASIL – Dados divulgados pelo Ministério da Saúde no início desta semana indicavam que 35,4 milhões de brasileiros tinham tomado a vacina até então, dentro da campanha nacional contra a influenza, incluindo a H1N1.

O número representa 71% do público-alvo, formado por 49,8 milhões de pessoas consideradas mais vulneráveis para complicações da gripe. A meta é vacinar, no mínimo, 80% desse público, até sexta-feira, quando encerra a campanha.

Quatro estados já alcançaram o índice de 80%. O balanço mostra que o Paraná ultrapassou, chegando a 85,2%. Além do Paraná, São Paulo (85%), Amapá (81,7%), Espírito Santo (81,2%) e o Distrito Federal (80,9%) já atingiram a meta de vacinação para este ano.

Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

NÚMEROS DA DOENÇA – Neste ano, até 09 de maio, foram registrados 2.808 casos de influenza de todos os tipos no Brasil. Deste total, 2.375 por influenza A (H1N1), sendo 470 óbitos, com registro de um caso importado (o vírus foi contraído em outro país). Os dados constam no Boletim Epidemiológico de Influenza do Ministério da Saúde.

A Região Sudeste concentra o maior número de casos (1.381) influenza A H1N1, sendo 1.209 no estado de São Paulo. Outros estados que registraram casos neste ano foram Rio Grande do Sul (198); Paraná (165); Goiás (153); Santa Catarina (102); Pará (101); Rio de Janeiro (70); Bahia (67); Distrito Federal (63); Paraíba (12); Alagoas (12); Rio Grande do Norte (11); Mato Grosso (7); Amapá (2); Rondônia (1); Roraima (1); Maranhão (1); Piauí (1) e Sergipe (1).

Com relação ao número de óbitos, São Paulo registrou 223, seguido por Rio Grande do Sul (39); Goiás (26); Paraná (24); Rio de Janeiro (23); Santa Catarina (21); Pará (16); Bahia (15); Minas Gerais (14); Espírito Santo (14); Pernambuco (10); Mato Grosso do Sul (09); Paraíba (08); Ceará(06); Distrito Federal (06); Rio Grande do Norte (05); Mato Grosso (04); Alagoas (02); Amapá (02) e Maranhão (01).

Dados atualizados nesta semana pela 14ª Regional de Saúde mostram que foram registrados dez casos de H1N1, levando em conta as 28 cidades da Amunpar – Associação dos Municípios do Noroeste Paranaense.
São oito casos em Paranavaí e dois em Alto Paraná. Não há registro de mortes. Outros vírus em circulação detectados são o Rinovirus com 09 incidências.

Fonte: Diário do Noroeste

apoio

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*