Fonte: Arquivo DN

Preço da carne bovina sobe até 15% em açougues de Paranavaí

A carne bovina está mais cara. Nas últimas três semanas, o preço do produto acumula alta de aproximadamente 15%, e a tendência é que continue subindo. Mesmo assim, os consumidores não deixaram de comprar o produto nos açougues de Paranavaí.
Essa é a realidade no estabelecimento de Luiz Martins de Sá. Ele contou ao Diário do Noroeste que os clientes têm preferência pela carne bovina, especialmente quando se trata de cortes mais nobres. “Agora que o preço subiu, parece que as pessoas estão comprando mais”.
Martins de Sá citou duas variedades de carne que têm bastante saída diariamente, o fraldão e o paletão, ambos vendidos por R$ 19,90 o quilo. Filé mignon, picanha e alcatra também figuram na lista de cortes mais consumidos.
A situação é semelhante no açougue de Valdecir Fachin. Por causa da pequena diferença de preços entre carnes de primeira e segunda, os clientes acabam optando pelos melhores cortes. A alcatra e o coxão mole estão entre os mais vendidos, custando, respectivamente, R$ 20 e R$ 18,80 o quilo.
O empresário destacou que os consumidores ainda preferem a carne bovina, apesar da alta nos preços. Mesmo assim, alguns já estão comprando frango e porco, por causa dos valores mais acessíveis. 
A explicação para a elevação vem do campo. Em recente entrevista ao Diário do Noroeste, o diretor de Bovinocultura de Corte da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná (SRNP), Reinaldo Cerqueira, afirmou que a oferta no mercado é pequena. 
Um dos fatores que contribuíram para isso foi o longo período de seca registrado em meses anteriores. A falta de chuva prejudicou as pastagens, reduzindo a quantidade de boi gordo para a venda. 
Na avaliação de Cerqueira, é preciso considerar, também, que a arroba do boi passou por um longo período com preços mais baixos, chegando a R$ 120 a arroba. A alta atual é um contraponto: a arroba custa R$ 145, conforme números do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab).
Cerqueira confirmou as expectativas dos proprietários de açougues: a tendência é que haja novas elevações nos preços. Em relação à arroba do boi, o diretor da SRNP fez uma projeção de que poderá custar até R$ 160.

Fonte: Diário do Noroeste

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*