(Imagem da Internet)

PELAS REDES SOCIAIS Professor estimula consumidor e fazer suas compras de Natal em Paranavaí

“Esta iniciativa mostra que o paranavaiense quer o fortalecimento de sua cidade e que adquiriu o espírito bairrista. É interessante, oportuno e tomara que venham outras iniciativas neste sentido”.

O comentário é do gerente da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (ACIAP), Carlos Henrique (Kaká) Scarabelli, ao avaliar a iniciativa espontânea de paranavaienses que estão compartilhando nas redes sociais um texto que pede expressa e insistentemente para que os moradores da cidade comprem em Paranavaí neste Natal. A hashtag é #compreaqui

O texto sugere que não interessa o que vai comprar, mas que seja na cidade, pode ser uma aquisição “da vizinha que vende por catálogo” ou no shopping ou no hipermercado.

O movimento começou com o professor Daniel de Lima, que redigiu e postou o primeiro o texto, que depois passou a ser compartilhado. Ele explica que a inspiração veio de outro texto que viu nas redes sociais. No texto original, de uma internauta do Rio de Janeiro, ela defendia a compra em pequenas empresas e vendedores autônomos e combatia as grandes multinacionais. Lima fez uma adaptação. “Eu adaptei o texto a nossa realidade”, conta ele, com o objetivo de evitar a evasão de consumidores.

CARA DE PARANAVAÍ – Para o professor, que é diretor e um dos sócios do Grupo Educacional Fatecie, “já é uma cultura” do paranavaiense buscar atendimento à saúde em outros centros e aproveitar e fazer compras “fomentando o comércio das outras cidades”.

Por isso, diz ele, “formatei o texto com a cara de Paranavaí” citando o nome da cidade (no texto original a citação a local é abstrata) e nome de empresas aqui instaladas. “Esta foi a ideia central”, enfatizou.

Ele se diz “feliz” por o texto “dar uma viralizada” nas redes sociais entre os paranavaienses. Cita que, como empresário do segmento de educação, sente na pele a pressão das grandes cidades sobre as menores, tentando levar seus consumidores. “Alunos vão para Maringá fazer cursos que temos aqui”, diz ele. “A gente tem que rebolar para provar que os nossos cursos, que o nosso produto tem qualidade”, para atender a clientela cuja cultura é que o bom produto só existe nas cidades maiores.

Sobre a possibilidade de preços melhores em outras cidades, o professor Daniel sustenta que este fato existe, mas é preciso fazer orçamento e tentar negociar com empresas locais. “Eu faço isso”, diz ele, citando que se deve fazer orçamento e levar o preço ao fornecedor local, dando-lhe a oportunidade de negociação. No caso de preço similar, ensina ele, sempre se deve dar preferência à empresa de Paranavaí.

O TEXTO – A Fatecie, a qual pertence o professor Daniel de Lima, é uma das entidades mantenedoras do Ponto de Atendimento do Empreendedor, que funciona na ACIAP.

Veja abaixo o texto que está circulando nas redes sociais, que teve a adaptação do professor Daniel de Lima,

Vai comprar presentes de Natal?

Compre em Paranavaí. Compre no comércio formal e até no informal também. Mas compre aqui. Compre da vizinha que vende por catálogo, das mulheres e mães empreendedoras, de artesãos, das lojas do bairro, da doceira que faz doces artesanais, do rapaz que tem uma banca no mercado, no mercado do seu bairro, no açougue da esquina e tantos outros comércios próximos a você. Compre no Shopping Cidade de Paranavaí e aproveite para ir a praça de alimentação , compre das lojas dentro do Muffato, do comércio local, que tem de tudo e que sobrevive com bastante sacrifício à concorrência da internet. Você pode fazer um emprego temporário tornar-se emprego permanente em janeiro. O comércio local precisa de você, consumidor paranavaiense. Façamos o dinheiro chegar às pessoas comuns e não às grandes multinacionais. Assim haverá mais gente a ter um melhor Natal. Apoiemos a nossa gente! Se acha que é uma boa proposta, mande para seus contatos. #Compreaqui

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

vem ai 01

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*