É a primeira feira no mundo para as indústrias que atuam no setor mandioqueiro

FIMAN será aberta nesta terça (22/11) com fortes perspectivas de negócios

Ocupando uma área superior a 4 mil m² no Parque de Exposições Costa e Silva, em Paranavaí, e com a presença confirmada de 18 delegações estrangeiras, será aberta nesta terça-feira (22), a primeira edição da Feira Internacional da Mandioca (FIMAN). Segundo o presidente da Comissão Organizadora da Feira, Maurício Gehlen, do Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná (SIMP), promotor do evento, a presença das delegações estrangeiras permite ter as perspectivas de vários negócios entre empresas nacionais e de outros países. “Não descartamos a possibilidade da formação de joint ventures”, diz ele.

Esta é a primeira feira do gênero no mundo, que reúne as indústrias processadoras de mandioca, seus fornecedores e clientes, além de empresas de tecnologia e transporte do setor.

Cerca de 70 empresas estarão reunidas na Feira, entre elas uma da China, outra de Hong Kong e várias do Paraguai, com a participação do governo paraguaio. Entre os visitantes, delegações dos Estados Unidos, Europa, Ásia, África e América do Sul. Nesta segunda-feira, paraguaios e chineses estavam montando seus estandes no local da Feira.

A FIMAN será realizada até quinta-feira e funcionará das 13 às 20 horas. A cerimônia oficial de abertura acontecerá nesta terça, às 16 horas, na praça de alimentação instalada na Feira. Autoridades e lideranças classistas deverão prestigiar o ato.

VISITAS TÉCNICAS – Os visitantes terão a sua disposição, além do contato com as empresas expositoras, visitas técnicas ao campo, farinheiras e fecularias, palestras e rodadas de negócios.

Já nesta terça-feira, às 10 horas, acontecerá a primeira visita técnica. Será a fecularia Podium Alimentos. Para quarta-feira, dia 22, das 7 às 12 horas, a visita será ao campo, nas fazendas Maria Luiza e Santa Luiza, das 9 às 11 horas à Alimentos Sumaré (farinheira) e das 10 às 12 horas, à Podium Alimentos (fecularia). A programação de quarta-feira se repetirá na quinta-feira.

O presidente da Feira, Maurício Gehlen, adiantou nesta segunda-feira que na abertura do evento, vai fazer um apelo ao setor no sentido de aproximar os produtores de raiz e as indústrias. “É importante que encontremos o equilíbrio e a estabilidade nas relações comerciais entre o campo e a indústrias para que as oscilações de preços seja a menor possível. A grande variação de preços da matéria-prima e por conseqüência da fécula e outros derivados da mandioca é que prejudica a conquista de mercados externos. A Tailândia se tornou o maior exportador de derivados de mandioca porque tem um mercado relativamente estável”, antecipa Gehlen.

A Feira é uma realização do SIMP e conta com o apoio da Associação Brasileira de Produtores de Amido de Mandioca (ABAM), Sistema FIEP, Coo´perativa de Crédito Sicredi, Prefeitura de Paranavaí, Centro Tecnológico da Mandioca (CETEM), Sebrae, BRDE, Itaipu Binacional, Sanepar, Embrapa, Sociedade Rural do Noroeste do Paraná e Sindicato Rural de Paranavaí. A organização está a cargo da Combo ADN – Planejamento e Organização de Eventos Especiais.

 

Fonte: FIMAN

 

COMPARTILHE ESTA INFORMAÇÃO!

COMPARTILHE ESTA INFORMAÇÃO!

 

 

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*