Quantidade de luz, espaço e as cores certas fazem toda a diferença no seu bem-estar (Foto reprodução)

Entenda como a decoração de ambientes pode influenciar sua qualidade de vida

Da redação: 

A decoração de ambientes, seja do lar ou do trabalho, é uma das partes mais divertidas fases de qualquer construção ou reforma. A escolha de um quadro com uma pintura que emociona, a cor da parede de um corredor específico ou a opção por móveis diferenciados são atividades extremamente divertidas.

 

O que muitos não sabem é que, além da parte estética, a ambientação e a decoração de espaços têm grande impacto em nosso bem-estar! Legal, né? A disposição dos elementos informa como experienciamos um certo ambiente e isso afeta, principalmente, dois de nossos sentidos: a visão e o tato.

 

Por isso, a decoração certa influencia nossa qualidade de vida. Um planejamento correto, com as plantas que agradam e as cores acertadas afetam nosso estado mental.

 

 

Influência das cores

As cores podem influenciar podem nossas emoções e a disposição delas dos espaços que frequentamos pode ser crucial para dinamizar nossas sensações.

 

O vermelho, por exemplo, uma das principais cores quentes, traz uma sensação de poder, força e movimento. Assim, é importante usá-la, mas com moderação. Ambientes com cores quentes em excesso podem tornar a energia do local cansativa.

 

A dica é que as cores quentes devam aparecer pontualmente, em objetos ou, no máximo, em uma parede de um cômodo que tenha predominantemente cores neutras. O branco, por exemplo, proporciona um sentimento de paz e harmonia. É uma excelente cor para preencher a maior parte de uma sala que terá uma parede com uma cor mais forte, como a vermelha.

 

É interessante também pensar na função de cada cômodo, ambientes mais sociais como o living room e a sala de jantar pedem esses pontos de cores quentes. Esses espaços de encontros se tornam mais dinâmicos e, consequentemente, mais acolhedores se essa for a função do cômodo em particular.

 

Porém, ambientes mais íntimos, como os quartos, requerem a predominância de cores neutras. E não precisa ficar no branco! Dá para ter ambientes dinâmicos, mas privados, sem ficar na mesmice. O marrom, por exemplo, é uma boa pedida para trazer sensação de conforto a um espaço.

 

 

Disposição dos móveis

A escolha dos móveis também passa pela função de cada cômodo, mas é essencial que o decorador se atente ao espaço disponível. Digamos que, por exemplo, sua sala de estar é pequena. Nesse caso, o ideal é intercalar quantidade e presença.

 

Ou seja, se quiser valorizar o espaço devido à sua limitação, prefira ter poucos objetos. Em contrapartida, escolha pelo menos um item que inspire curiosidade, pode ser uma cadeira criativa ou um quadro de cor marcante.

 

Mas, se preferir focar na funcionalidade do ambiente e optar por ter mais mobília, invista em cores mais próximas das neutras para que o espaço não fique exaustivo ao olhar. Mesmo assim, vale alguns pontos menores de cores mais fortes, como uma almofada estampada.

 

Para escritórios, em casa ou na empresa, é legal seguir a mesma linha de deixar o objetivo do espaço informar as decisões estéticas. Por isso, não se esqueça que ambientes de trabalho vão ser, geralmente, mais formais. Mas isso não impede você de ter uma pequena planta na mesa ou uma cadeira colorida.

 

E por falar em cadeira, móveis de postura, como cadeiras e poltronas, devem dar o sustento correto para a coluna. Se possível, prefira objetos ergonômicos, aqueles que são desenhados e especialmente pensados para a postura de sua estrutura óssea.

 

É também essencial que se tenham elementos que estimulem a criatividade em espaços destinados ao trabalho. O amarelo é a cor clássica da criatividade. Em salas destinadas ao ofício o amarelo pode aparecer em detalhes como a moldura de um porta-retrato, no vaso de plantas ou num detalhe da cortina.

 

 

Iluminação

Por fim, um dos itens mais importantes que reúnem decoração e qualidade de vida é a quantidade de luz do ambiente. A luz deve ser pensada como um objeto por si só. É essencial que os ambientes tenham uma iluminação adequada, e a grande maioria dos ambientes pede muita luz.

 

A exceção fica para espaços como a sala de televisão. Se torna aceitável que este seja um ambiente mais escuro, porque é um local em que, normalmente, não se passa  muito tempo, além disso, a projeção da tela fica melhor com menos iluminação.

 

A presença da luz natural é também essencial para nossa saúde química. Vitaminas como a D só sintetizam na presença dela e sua carência causa diversos problemas.

Com essas combinações de luz e elementos, ambientes harmônicos proporcionam e elevam a saúde mental e emocional de todos que utilizam o espaço.

Leave a Reply