Em reunião com Beto Richa, Tião Medeiros pede apoio ao setor da mandioca na região Noroeste

O deputado estadual Tião Medeiros (PTB) se reuniu nesta segunda-feira (03) com o governador Beto Richa para discutir apoio ao setor da mandioca do Paraná. O deputado reforçou o pedido para que a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário da Paraná (Codapar) classifique com agilidade a farinha e a fécula de mandioca dos produtores do Estado. A classificação é necessária para que o produto paranaense possa entrar no pacote de compra anunciado pelo governo federal. Os deputados Márcio Nunes e Jonas Guimarães também participaram do encontro.

O governo federal autorizou a aquisição de até 40 mil toneladas de farinha e fécula de mandioca nos estados em que a cotação de mercado esteja abaixo do preço mínimo. “Desde que a crise se instalou no setor, estamos nos reunindo com as diversas esferas envolvidas no assunto para solicitar medidas urgentes de apoio ao setor. O agricultor não pode mais sofrer com baixos preços. Com a classificação da Codapar e compra por parte do governo federal, podemos salvar o setor na região Noroeste”, afirma Medeiros.

O governador Beto Richa recebeu o pedido de forma positiva. Segundo ele, o governo do Estado está trabalhando para auxiliar o setor. “Estamos cuidando para resolver o problema. Sei que a situação dos produtores é dramática”, disse Beto Richa. Tião Medeiros vem trabalhando no Paraná desde o início do ano para que órgãos intercedam no setor.

A compra pelo governo federal foi aprovada em reunião do Conselho Interministerial de Estoques Públicos de Alimentos (Ciep), composto pelos ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Fazenda, do Desenvolvimento Agrário e da Casa Civil.

A medida, que será efetivada por meio de Aquisição do Governo Federal (AGF), poderá ser estendida a mais 40 mil toneladas desses produtos. O preço mínimo da farinha de mandioca está estipulado em R$ 0,83/kg e o da fécula de mandioca, em R$ 1,02/kg.

O objetivo da resolução do Ciep é garantir aos produtores rurais o nível de rentabilidade dado pelo preço mínimo, evitando que eles tenham que comercializar sua produção a preços que inviabilizem a atividade econômica.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*