Europa, Estados Unidos e Brasil são os maiores consumidores de carne vermelha. (Foto reprodução)

DEIXAR DE FAZER CHURRASCO PODE SALVAR O PLANETA

Da Redação:

Muito se fala sobre a contribuição da indústria da carne para a destruição do planeta. Não é à toa que houve um crescimento exponencial da comercialização de produtos veganos e vegetarianos, além da criação de campanhas para conscientização das pessoas a respeito do assunto.

Fato é que cientistas estadunidenses desenvolveram uma pesquisa que pode fazer todos os churrasqueiros de plantão repensarem seu gosto por picanha.

De acordo com os estudos dos investigadores norte-americanos, se todos os grandes consumidores de churrasco, seja de carne de boi ou de cordeiro reduzirem seu consumo semanal para um hambúrguer e meio até 2050, é possível salvar diversas florestas de se transformarem em plantações agrícolas.

A consequência imediata disso seria a redução do efeito estufa, um dos grandes responsáveis pelo aquecimento global.

Europa, Estados Unidos e Brasil são os maiores consumidores de carne vermelha

Os europeus e os estadunidenses consomem hoje o equivalente a três hambúrgueres por semana. Os brasileiros, por sua vez, carregam nas costas a responsabilidade de comerem quatro e meio. São países ou regiões em que a tradição da carne é muito forte e antiga.

Nesse sentido, os realizadores dessa pesquisa explicam que, em relação ao consumo de carne e ao aquecimento global, essa é a única medida viável e plausível. Isso porque é praticamente impossível eliminar completamente a ingestão de carne, mesmo a longo prazo.

As regiões supracitadas eram em 2010, inclusive, junto do Canadá e dos países que pertenceram à União Soviética, responsáveis por metade do consumo de carne de todo o planeta. Isso é emblemático, visto que na época compunham apenas um quarto da população mundial.

Criação de gado é responsável por 11% da emissão de gases no planeta

Nem todo mundo sabe, mas a agricultura em todo o mundo é responsável por 11% da emissão de gases na Terra. Dessa porcentagem, quase toda é de culturas de pasto para gados. Na verdade, esses gases sobem à atmosfera provenientes do esterco bovino.

Mas não é só esse o problema. A agropecuária voltada para a produção de carne para churrasco ainda devasta inúmeros hectares de árvores. As árvores, como bem se sabe, são responsáveis por absorver dióxido de carbono e transformá-lo em oxigênio. Sem elas, os seres humanos não só perdem oxigênio no planeta como têm a Terra com concentração aumentada de gás carbônico.

O sistema atual de alimentação pode entrar em colapso se não houver mudanças

Estima-se que até 2050 a demanda por alimentos aumente em 50% em relação ao que é hoje. Nos atuais moldes e sistemas de alimentação, isso implica grandes problemas. Seria necessário, ainda de acordo com o estudo, desmatar grande partes das florestas existentes na Terra.

Isso levaria o planeta a um colapso quase imediato. Milhares de espécies seriam extintas, prejudicando completamente inúmeros ecossistemas. Um exemplo cujas consequências já se percebem é o das abelhas, que estão em risco iminente de extinção. E sem elas não há vida na Terra.

Sendo assim, talvez seja mesmo interessante repensarmos aquele churrasco todo domingo. Nunca é tarde para criarmos consciência a respeito do futuro do planeta em que vivemos.

 

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*