Auxílio-academia: por que algumas empresas oferecem esse benefício?

Os chamados benefícios flexíveis têm sido desejados pelos funcionários por uma série de razões: além de contribuírem para o aumento da qualidade de vida, eles podem – a depender, é claro -, gerar renda para um futuro mais estável.

Para as empresas, oferecer benefícios é vantajoso por diversas razões: os colaboradores se sentem mais respeitados, começam a ver na companhia uma aliada e, por isso, tendem a ser mais produtivos e a “vestir a camisa”. Os benefícios também diminuem o turnover, ou a rotatividade de funcionários.

Entre as vantagens corporativas que têm sido oferecidas nos últimos anos está o auxílio-academia. Será que vale a pena? Falaremos mais sobre isso a seguir.
Auxílio-academia: o que é?
O auxílio-academia pode ser dado ao funcionário de formas diversas: há empresas que têm parcerias com academias e, por isso, podem oferecer descontos realmente significativos para os seus colaboradores.

Outras companhias, por sua vez, podem literalmente oferecer planos na academia – nesse caso, o funcionário não precisa arcar com nenhuma despesa, nem de matrícula nem de mensalidade, e apenas usufrui das possibilidades de atividade física.

Algumas empresas têm investido em salas de relaxamento ou com aparelhos, para permitir que o funcionário possa se exercitar nas brechas do dia, antes ou depois do expediente, ou para que ele possa aliviar o estresse durante as semanas mais intensas.

Embora seja uma ótima ideia, trata-se de algo que pode ser oneroso e que nem sempre dialogará com as necessidades do funcionário: há quem prefira manter o seu espaço de relaxamento ou prática física afastado da empresa, e está tudo bem com isso. A melhor forma de agradar gregos e troianos, portanto, é facilitar o acesso a outros lugares.
Por que é vantajoso investir em auxílio-academia?
Antes de tudo, porque praticar atividade física é fundamental para a saúde mental do funcionário (além dos óbvios benefícios para o corpo): pessoas sedentárias, além de mais propensas ao envelhecimento precoce e a enfermidades de ordem física, também têm mais dificuldade para lidar com a pressão do cotidiano.

A depressão e outros transtornos de humor, como a ansiedade – que, como sabemos, tem sido responsável por inúmeros afastamentos do ambiente de trabalho e que colabora para a diminuição da qualidade de vida – também podem ser abrandados com a prática regular de exercícios.

O fator sociabilidade também conta muito: quem trabalha em ambientes fechados tende a lidar sempre com as mesmas pessoas, mas não necessariamente têm relações com elas fora da empresa. Em ambientes onde há prática esportiva ou similar, há mais abertura para fazer amigos, desabafar, conhecer novos pontos de vista.

Tudo isso reverbera no cotidiano do trabalhador: uma vez que ele se sente menos estressado e pressionado pelas atividades que precisa desempenhar, tem facilidade para separar os espaços que compõem a sua vida e sente-se cercado de pessoas, a prática laboral flui de maneira mais agradável e intensa.
Outros benefícios relevantes: conheça
Além do auxílio-academia, que já se provou interessante, existem outras vantagens do meio corporativo que podem fazer com que a empresa se torne referência no mercado de trabalho e fidelize os seus maiores talentos.

Plano de saúde e plano odontológico, por exemplo, devem fazer parte de qualquer pacote de benefícios. O mais indicado é que a empresa ofereça planos com boa cobertura, já que o funcionário deve estar protegido em qualquer parte da cidade, perto ou distante do local onde costuma trabalhar.

Falando sobre locais de trabalho: o home office também figura como um benefício concorrido. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as empresas têm percebido que manter os funcionários em casa pode ser, além de financeiramente atrativo, uma vantagem e tanto.

Quem trabalha de casa pode dormir um pouco mais, uma vez que não é necessário pegar transporte público ou ir de carro até o emprego, além de ter mais tempo livre para utilizar com as suas próprias demandas.

Se não for possível manter o funcionário integralmente em casa (coisa que, salientamos, tem sido feita por companhias de grande porte, dentro e fora do Brasil), uma opção é oferecer a possibilidade de trabalhar à distância uma ou duas vezes por semana ou em dias específicos do mês.

Por fim, há a previdência privada corporativa: por meio dela, os funcionários têm ajuda para guardar dinheiro mensalmente, de forma automática e inteligente, e podem usufruir de uma aposentadoria mais leve e mais abastada.

Da redação;

Leave a Reply