Foto: Jaqueline Mocelin

As quatro galinhas foram soltas no pátio do colégio e se tornaram atração para os alunos Foto: Jaqueline Mocellin As quatro galinhas foram soltas no pátio do colégio e se tornaram atração para os alunos Foto: Jaqueline Mocellin Colégio de Umuarama usa galinhas d’angola para combater surgimento de escorpiões

Com os recentes casos de pessoas picadas por escorpiões em toda a região, a diretoria de um colégio de Umuarama buscou alternativas para prevenir o aparecimento dos aracnídeos. O objetivo era encontrar uma solução mais natural, que não interrompesse o andamento das aulas e não trouxesse risco aos alunos.

Depois de bastante pesquisa, as diretoras do Colégio Sapiens, Rosi Mary Caparroz e Rosilene de Fátima Delmônico Moro, decidiram colocar galinhas d’angola no pátio da escola. Quatro delas foram adquiridas e foram separadas em setores diferentes em duplas.

As galinhas d’angola foram escolhidas por se alimentarem desses animais peçonhentos. E a convivência com os alunos tem sido boa, contam as diretoras. “Elas são bastante discretas e os alunos gostaram da ideia das galinhas no colégio”, explica Rosilene.

As diretoras lembram que tiveram dificuldade para comprar a galinha d’angola em Umuarama. “Tentamos em algumas casas agropecuárias, mas nenhuma delas tinha. Depois conseguimos com uma pessoa que presta serviços aqui no colégio e reside em um sítio”, explica Rose.

As galinhas d’angola circulam por dois setores da escola, inclusive pelo parque infantil

Outras ações

Após o surgimento de dois escorpiões pretos no pátio – considerados de baixo risco, ao contrário dos de cor amarela – mais medidas de prevenção foram adotadas. O parque infantil foi temporariamente fechado e as vistorias em todo o terreno se tornaram frequentes. Além disso, o responsável pelos jardins está realizando a poda e limpeza em canteiros. A intenção é evitar lugares onde o aracnídeo possa se esconder.

A direção também solicitou que o proprietário de uma chácara ao lado faça a limpeza do espaço. Outra ação é a aquisição de Terra Diatomácea, que provoca uma reação mecânica para evitar insetos. O produto consiste em um pó, que promete se anexar ao exoesqueleto do escorpião e agir causando a desidratação do aracnídeo. A Terra Diatomácea foi comprada em outra cidade e deve chegar nesta semana, quando será aplicada no terreno.

Canteiros foram limpos e as plantas podadas em todo o pátio do colégio

Recomendação

O uso de predadores naturais tem se mostrado uma das formas mais eficazes para combater o escorpião, principalmente tendo em vista que não existe nenhum veneno comprovadamente eficaz contra o animal. Normalmente eles apenas fogem da área dedetizada e se escondem em um abrigo seguro.

Além da galinha d’angola, várias espécies de aranhas, lagartos, louva-a-deus, corujas, seriemas, macacos, sapos e pássaros estão incluídos entre os ‘inimigos’ dos escorpiões. Os sapos são considerados ainda mais eficazes que as galinhas, por terem hábitos noturnos. Com isso, a possibilidade de encontro com os animais peçonhentos é maior – ao contrário das galinhas, que têm hábitos diurnos.


Fonte: O Bem Dito

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*