De 1º de janeiro até 19 de fevereiro foram registrados 57 assaltos e 21 furtos desses aparelhos somente em Paranavaí Foto: Fabiano Vaz Fracarolli

Roubos de celulares mais que triplicam em 2017

Os paranavaienses estão assustados com a onda de roubos e furtos de telefones celulares. Levantamento realizado pela Polícia Militar (PM), a pedido do Diário do Noroeste (DN), indica que do dia 1º de janeiro até 19 de fevereiro deste ano foram registrados 57 assaltos e 21 furtos desses aparelhos somente em Paranavaí.
No mesmo período do ano passado, a polícia registrou 17 roubos e 10 furtos. Analisando os números, é possível dizer que houve aumento de 235% nos casos de roubos e de 110% nos registros de furtos.
Nos dois dias seguintes à data pesquisada houve mais registros. No dia 20 foram dois roubos. No dia 21 mais três pessoas foram vítimas de assaltos e ficaram no prejuízo de cinco telefones celulares.
A maneira de agir dos ladrões na maioria das vezes é em dupla e com moto. Porém, há registros de criminosos que estavam a pé ou de bicicleta. Comumente, as vítimas são abordadas em locais de pouco movimento.
Na maior parte dos roubos, os criminosos estavam armados. Em algumas situações os bandidos fizeram menção de estarem armados. Em tom ameaçador, eles obrigam a vítima a entregar os aparelhos e quem resiste acaba agredido fisicamente.
INVESTIGAÇÕES – Luiz Carlos Mânica, delegado-chefe da 8ª Subdivisão Policial (8ª SDP) de Paranavaí, informou que a polícia está trabalhando para dar mais segurança para a comunidade.
Ele explicou que este ano já foram realizadas prisões de ladrões que praticam esse tipo de crime. Além disso, pessoas foram autuadas em flagrante como receptadores, após serem abordadas com telefones com registro de furto ou roubo.
Mânica explicou que em toda a abordagem de pessoas suspeitas os policiais estão verificando o número do IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel). Além disso, algumas duplas de assaltantes foram identificadas e tiveram o pedido de prisão enviado ao Poder Judiciário.
O delegado frisou que por serem objetos de desejo, os aparelhos roubados e furtados são facilmente comercializados. Mânica não descartou a possibilidade de muitos aparelhos estarem sendo enviados para outras regiões. O destino final seria o desmanche e ter suas peças utilizadas no conserto de outros telefones.
Os indícios são de que grande parte dos roubos e furtos é praticada por usuários de droga. Os valores conseguidos pelos assaltantes são usados para a compra de entorpecentes. “Eles vendem barato e até mesmo trocam com os traficantes que acabam passando para frente”.
RECEPTAÇÃO – O delegado explicou que as pessoas que adquirem telefones roubados e furtados respondem pelo crime de receptação. Em tom de alerta, disse que uma vez flagrada com o aparelho, a pessoa será indiciada e poderá ser condenada a penas que variam de um a oito anos de reclusão.
“O ladrão que comete um assalto pode ser preso em flagrante se for abordado logo após o cometimento do crime. Já o receptador pode ser preso a qualquer momento se estiver com o aparelho”, disse Mânica.

DICAS DE SEGURANÇA
No início desta semana a seção de Comunicação Social do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM) iniciou uma campanha de orientação à população. O objetivo foi orientar as pessoas para tomarem cuidado com relação aos roubos e furtos de telefones celulares.
Segundo a PM, ao andar nas ruas a pessoa não deve deixar o aparelho à mostra. O correto é andar com o aparelho no bolso, de forma não visível e com o modo vibratório acionado. A PM sugere que em bares, restaurantes, lojas comerciais o telefone não fique sobre a mesa ou balcão.
No caso de atender chamadas na rua, o correto é entrar em algum estabelecimento comercial onde haverá mais segurança. Os policiais também indicam que jamais o celular deve ficar a mostra no interior de veículos.
Com relação aos estudantes a PM orienta que eles mantenham o celular guardado no bolso ou bolsa escolar de forma não visível. A nota recomenda que no deslocamento pelas ruas os alunos não usem os aparelhos.
Por fim, as pessoas são orientadas a utilizar programas rastreadores. Além disso, seria correto fazer backup semanal para não deixar armazenadas imagens comprometedoras. Os proprietários também foram orientados a ter em mãos o número do IMEI (digitando *#06#). Com o número do IMEI, em caso de perda ou roubo, é possível bloquear o aparelho.

 

Fonte: Jornal Diário do Noroeste

 

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*