Imagem/ Diário do Noroeste

Programa “Justiça no Bairro” percorre Comarcas do Noroeste

O programa “Justiça no Bairro” percorreu neste final de semana as Comarcas de Santa Isabel do Ivaí, Loanda e Nova Londrina, levando para a população serviços e orientações disponibilizados pelo Poder Judiciário.

Somente na Comarca de Nova Londrina, 112 casais oficializaram a união em um casamento comunitário promovido dentro do programa e celebrado pela criadora do programa, a desembargadora do Tribunal de Justiça, Joeci Machado Camargo.

“O Justiça no Bairro leva cidadania para a população economicamente vulnerável com serviços gratuitos do Judiciário, agilizando processos que poderiam levar anos”, disse a desembargadora.

O programa desenvolvido em parceria com o Sistema Fecomércio SESC/SENAC/PR e Prefeituras tem como objetivo levar até a população vulnerável economicamente, serviços gratuitos, além da conciliação por meio de audiências em inúmeras áreas do direito, tais como; divórcio, pensão alimentícia, guarda e responsabilidade, reconhecimento de paternidade e maternidade, reconhecimento de união estável ou dissolução, exames de DNA, retificação de registro civil, interdição, e a confecção de Carteira de Identidade (RG) dentre outros.

“Vou aproveitar para tirar uma segunda via da identidade (RG) e pegar uma orientação de um advogado, se não fosse o programa não sei quando teria dinheiro e tempo pra ter esse serviço”, disse um dos atendidos em Querência do Norte, na manhã da última sexta-feira (3), que aguardava a chegada dos servidores da Comarca de Loanda.

Em todas as Comarcas foi grande a procura pelos serviços do programa. Na cidade de Querência do Norte, por ser mais afastada de Loanda, sede da Comarca, os servidores do Judiciário se deslocaram até o município durante a última sexta-feira. Em Querência foram oficializados 133 casamentos, além dos outros serviços prestados.

O projeto completa 10 anos. O trabalho reuniu juízes, advogados e estudantes de direito que trabalharam como voluntários no mutirão de audiências. Funcionários do SESC e voluntários ajudavam a distribuir senhas e a chamar quem estava na vez.

Fonte: Diário do Noroeste

aa

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*