Planos de expansão da APPA são discutidos na Comissão de Obras da Assembleia

A Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicação da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado estadual Tião Medeiros (PTB), realizou nesta quarta-feira (15) uma oitiva com o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Luiz Henrique Dividino. Dividino falou sobre os planos de expansão das atividades dos portos do Paraná e os avanços na área portuária.

De acordo com Tião Medeiros, a audiência forneceu aos deputados dados sobre o trabalho realizado pela APPA e a importância para o desenvolvimento do Estado. “A Comissão de Obras Públicas da Assembleia está dando sequência em conversas com empresas públicas do Estado para que elas apresentem suas realidades, planos de expansão, metas e desafios para o futuro. Só assim o poder legislativo pode ser usado como instrumento de transformação”, afirmou o deputado.

Para o diretor-presidente da APPA, o encontro com os deputados é importante para apresentar um balanço de todo o trabalho realizado. “Este tipo de reunião é importante por que o agente público tem de prestar contas daquilo que foi feito e o que está sendo planejado para o futuro. Realizamos ações com benefícios diretos a quem utiliza os serviços do porto, como o fim da fila de caminhões. Para o futuro, estamos trabalhando para a redução do custo portuário, direcionando os portos de Paranaguá e Antonina para um maior crescimento”, explicou Dividino.

Ele informou que a capacidade nominal do Porto aumentou em 60% após a troca de equipamentos portuários, como shiploaders (carregadores de navios), os investimentos em novas balanças, portarias, acesso ao Pátio de Triagem e reforma do cais e berços de atracação, que dão mais agilidade nas movimentações. Também foram realizadas campanhas de dragagem que dão mais segurança à operação e aumentam a capacidade de movimentação do porto. Dividino lembrou que o aumento da capacidade nominal do Porto também permitiu recordes consecutivos na movimentação de cargas.

Os investimentos privados previstos para os próximos anos também foram detalhados aos deputados. Os projetos incluem novos terminais e arrendamentos, renovações de contratos e rearrendamentos de áreas públicas. Até 2030, a demanda de movimentação de cargas no Paraná deverá saltar das atuais 45 milhões de toneladas para 83 milhões de toneladas.

Entre os investimentos estão R$ 1,4 bilhão em novos Terminais de Uso Privado, R$ 1,2 bilhão em arrendamentos do Programa de Investimentos em Logística (PIL), R$ 960 milhões em renovações antecipadas de áreas, R$ 820 milhões em contratos de passagem e R$ 700 milhões em rearrendamentos de áreas públicas ocupadas.

Desde que assumiu a presidência da Comissão, Tião Medeiros vem promovendo debates com as principais empresas de infraestrutura da administração paranaense. A Comissão de Obras já realizou audiências com o diretor-presidente da Companhia Paranaense de Gás (Compagás), Fernando Ghinone, da Copel Telecom, Adir Hannouche, e da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), Cezar Silvestri.

Participaram da reunião os deputados Maria Victoria, pastor Edson Praczyk, Rasca Rodrigues, Paulo Litro, Felipe Francischini e Luis Corti.

Foto: Pedro Oliveira/Alep

 

Fonte: Assessoria de imprensa


Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*