Paraná promove Dia D de combate ao Aedes aegypti nesta quarta-feira

Para reduzir os índices de infestação do mosquito da dengue, o Governo do Paraná e as prefeituras promovem nesta quarta-feira (9) mais um dia de grande mobilização contra o Aedes aegypti. As ações acontecem em todo o Estado e visam conscientizar a população para a importância de manter casas e quintais livres de água parada.

A programação conta com arrastões de limpeza, mutirões de visitas domiciliares de agentes de endemias, divulgação de materiais informativos em ruas e praças, capacitações e palestras, apresentações artísticas e exposições, além de diversas atividades educativas em escolas, unidades de saúde, empresas, comércio e prédios públicos.

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, explica que no Paraná é lei – todo dia 9 de cada mês é considerado o Dia Estadual de Combate ao Mosquito Aedes aegypti. “Isso mostra que estamos engajados na luta contra a dengue, a zika e o chikungunya. Com o poder público e a população trabalhando juntos, podemos vencer esta guerra contra do mosquito”, enfatizou.

Caputo Neto explica que o apoio da mídia tem sido essencial para que as pessoas conheçam as medidas de prevenção que devem ser adotadas. Contudo, é preciso que o tema continue sempre em pauta. “Eliminar criadouros e evitar a água parada tem que ser uma preocupação contínua de todos. Por isso, é preciso que as pessoas dediquem pelo menos 15 minutos por semana para o controle do mosquito em casa e no ambiente de trabalho”, ressaltou.

PREVENÇÃO – Entre os locais mais propícios para a proliferação do Aedes aegypti estão recipientes expostos à água da chuva, como lixo, calhas e ralos entupidos, pratos e vasos de plantas, reservatórios de água para animais domésticos, ocos de árvore, bromélias, caixas d’água e lajes. Contudo, é recomendado ficar atento a potenciais criadouros internos, como vasos sanitários desativados, coletores de água da geladeira e do ar-condicionado, suporte de garrafão de água, entre outros espaços.

“Todo recipiente que possa acumular água merece atenção especial, tanto fora quanto dentro de casa. Não importa o tamanho do recipiente. Uma simples tampinha de garrafa pode se tornar um criadouro”, alerta a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira.

PROGRAMAÇÃO – Em Paranaguá, já nesta terça-feira (8), foi montada uma exposição no Centro da cidade com a apresentação do ciclo evolutivo do mosquito Aedes aegypti. Profissionais de saúde ficaram à disposição para tirar dúvidas sobre a biologia e identificação do inseto.

Em Curitiba, nesta quarta (08), técnicos do Detran-PR serão capacitados para reforçar o controle do mosquito nos pátios de veículos do órgão. Em Bela Vista do Paraíso e Apucarana, a população vai participar de uma caminhada da campanha contra o Aedes aegypti. Já em Contenda, Piên e Quitandinha, o foco será as gestantes, com palestras sobre os cuidados com a zika e a microcefalia.

Apresentações artísticas com a temática da dengue fazem parte das atividades nos municípios de Agudos do Sul, Quatro Barras, Cambé, Icaraíma, Apucarana, Maria Helena, Umuarama, São João do Triunfo e Carambeí.

Dezenas de prefeituras também vão desenvolver ações nas escolas, com gincanas educativas para incentivar os estudantes a contribuir no combate ao mosquito. Grande parte das cidades fará ainda blitzes educativas, distribuição de materiais informativos e mutirões de limpeza junto à população.

NÚMEROS – Nesta terça-feira (8), a Secretaria Estadual da Saúde divulgou um novo boletim semanal com informações sobre os casos de dengue, zika e chikungunya no Paraná. De acordo com o relatório, mais 12 cidades entraram em situação de epidemia de dengue, elevando o número de municípios epidêmicos para 30.

Entraram na lista as cidades de Planalto, São Miguel do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Braganey, Cafelândia, Capitão Leônidas Marques, Tuneiras do Oeste, Colorado, Sarandi, Centenário do Sul, Ibiporã e Leópolis.

Desde agosto do ano passado, o Estado contabiliza 10.663 casos confirmados de dengue. Neste boletim, a Secretaria confirma ainda a ocorrência de mais duas mortes – uma em Paranaguá e outra em Antonina. Com isso, sobe para 15 o número de óbitos causados pela dengue no Paraná. Em sete meses, são 11 mortes em Paranaguá, duas em Foz do Iguaçu, uma em Antonina e uma em Curitiba.

No boletim, a Secretaria confirma mais 20 casos de zika vírus e dois de febre chikungunya. Desta forma, aumenta para 111 ocorrências de zika e 28 de chikungunya no Estado.

parceiros 01

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*