Municípios da região ocupam as últimas colocações no Ranking dos Portais da Transparência no PR

A verdadeira democracia só se realiza se todos os cidadãos tiverem acesso a informações sobre seus governos, principalmente como os administradores gastam o dinheiro público. Por isso, o Ministério Público Federal (MPF) divulgou uma pesquisa sobre a transparência desses dados, a facilidade que as pessoas tem ou não de saber para onde vai o dinheiro dos impostos. O Ranking Nacional dos Portais da Transparência avaliou 5.568 municípios brasileiros. Algumas cidades do noroeste do Paraná ocupam as últimas colocações no ranking.

Empatado com outras cidades, o município de São Pedro do Paraná ocupa a última colocação, 381°. Querência do Norte está em penúltimo (370°), também empatado com outras cidades do estado. Subindo a tabela aparecem Santa Cruz de Monte Castelo em 355°, Santa Isabel do Ivaí em 258°, Loanda em 80° e Porto Rico em 56°. As três cidades mais bem avaliadas no levantamento estão na região oeste do estado – Nova Santa Rosa, Marechal Cândido Rondon e Quatro Pontes. Veja a lista completa.

Em uma escala de zero a 10, a média dos municípios do Paraná ficou em 4,22 – acima do Índice Nacional de Transparência, que foi de 3,91. Curitiba, que ficou na 15ª colocação entre as cidades do estado, foi a 11ª capital no ranking nacional com média 8,1. Já o governo do Paraná ficou apenas na 17ª posição no levantamento entre os estados, com média 6,10.

Para chegar às notas, o MPF elaborou 16 questões com pesos diferenciados – valorizando, por exemplo, a publicação de salários de servidores na internet e a íntegra dos contratos celebrados. Também foram levados em conta fatores como receitas e despesas, ferramenta de pesquisa de conteúdo, editais de licitação, possibilidade de pedidos de informação, dentre outros.

Junto do ranking, o órgão anunciou recomendações para que gestores sanem as mais de cinco mil irregularidades constatadas em até 120 dias. Após este prazo, uma nova avaliação deve ser feita entre abril e maio de 2016 e ações civis públicas poderão ser ajuizadas em casos de novos descumprimentos.

Informações: globo.com

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*