Laudo do IML afirma, preso morreu por traumatismo craniano, veja os detalhes

O laudo de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) de Paranavaí atestou que o presidiário João Paulo Gonçalves Lima, 24 anos, morreu em decorrência de um traumatismo craniano. Ele foi assassinado na manhã de quinta-feira dentro do minipresídio depois de ser acusado de furtar um chocolate de outro detento.
A Polícia Civil já identificou o detento que teria começado o tumulto. Não foi possível ouvir o acusado na tarde de sexta-feira porque estava sendo realizada uma operação bate-grade no interior do minipresídio. Seu depoimento será nesta segunda-feira.
Surgiu uma informação de que os presos estariam fazendo uma lista com nomes de todos os que participaram da agressão – em torno de 15 pessoas. Os acusados serão indiciados por homicídio qualificado. A pena pode variar de 12 a 30 anos de prisão.

RELEMBRE – João Paulo Gonçalves Lima foi assassinado na manhã de anteontem depois de ser acusado de furtar um chocolate de outro preso. Na cela em que ocorreu o homicídio havia cerca de 90 presos.
O laudo confirmou traumatismo craniano provocado por socos e chutes na cabeça. Por volta das 11h20 os presos teriam pedido auxílio aos agentes carcerários. Os detentos disseram que Lima estaria passando mal.
Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e ao resgatar o corpo percebeu que estava em óbito. O corpo de João Paulo Gonçalves Lima foi enterrado na tarde de ontem em Paranavaí.

Fonte: Diario do Noroeste

parceiros 01

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*