Confirmados primeiros dois casos de zika vírus em Paranavaí

A Secretaria Municipal de Saúde de Paranavaí confirmou na tarde de hoje (1º) os dois primeiros casos de zika vírus no município. Segundo o secretário Municipal de Saúde, Agamenon Arruda de Souza, a doença foi diagnosticada em um rapaz de 21 anos, morador da Zona Leste, e em um homem de 53 anos, morador da Zona Rural de Paranavaí.

Ambos contraíram a doença em janeiro, mas o resultado só foi divulgado pelo Lacen (Laboratório Central do Estado do Paraná) na tarde de hoje. Os dois homens passam bem.

De acordo com o secretário, ainda não é possível afirmar se os pacientes contraíram a doença em Paranavaí (autóctone) ou se teria sido importada de outra localidade. “Os coordenadores das Unidades Básicas de Saúde foram enviados às residências dos dois pacientes para apurar se eles receberam recentemente visitas de moradores de outras cidades e coletar outras informações”, esclarece.

Mesmo antes que os casos de zika fossem confirmados, os agentes de endemias realizaram bloqueios, com aplicação de inseticida, no entorno das residências dos pacientes. “Foi feito um primeiro bloqueio, logo que eles foram diagnosticado com o caso suspeito, e agora faremos um segundo bloqueio nestas localidades, em um raio de 300 metros das residências, e o acompanhamento diário para acompanhar se há progressão de casos na região”, explica o diretor da Vigilância em Saúde, Randal Fadel Filho.

De acordo com Randal a situação é alarmante. Do início do ano até agora, Paranavaí já registrou 20 casos suspeitos de zika, sendo dois confirmados, quatro negativos e 14 que aguardam resultado. Outras duas pessoas, moradores do Jardim São Jorge, foram notificados com suspeita de chikungunya, doença que também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

Já a dengue, velha conhecida dos paranavaienses, contabiliza 300 casos notificados só neste ano. 46 deles deram positivo, 221 negativo e 33 ainda aguardam resultado.

“A população parece que ainda não acordou para a gravidade do problema e continua jogando lixo em terrenos baldios. A única maneira de acabar com o mosquito é não deixando ele nascer. Por isso, pedimos a colaboração da população para que não deixe água parada nos quintais, vasos de plantas, bebedouro de animais, entre outros”, reforça Randal.

De acordo com o diretor, todos os dias são encontrados em Paranavaí e distritos cerca de 8 a 12 focos de larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus zika.

Fonte: Portal da Cidade Paranavai

parceiros 01

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Itens necessarios estão marcados *

*