Contos Valdir Fachini

A AEROMOÇA

Voar voar, subir subir ir por onde for descer até o céu cair ou mudar de cor…….sempre que um avião passa por sobre minha cabeça eu me lembro de Camila e quando me lembro de Camila, eu cantarolo essa canção (só sei esse pedaço).     E como eu moro em Campinas, bem próximo do aeroporto, a cada cinco minutos ...

Ver mais »

Contos: O SAFADO E A ROLHA DE POÇO

Safado!era assim que ela se referia a ele quando queria lhe colocar os grilhões,quando fazia comentário com amigos e parentes que envolvesse a sua pessoa ,ou simplesmente quando queria te xingar e humilhar.,Na casa ,a prole e até o papagaio chamava ele assim e aqueles parentes (da parte dela ,é claro)que se achavam os donos da verdade também tiravam uma ...

Ver mais »

Contos: AS CARPIDEIRAS

Não se falava de outra coisa na cidade se não na morte do coronel Deoclécio, até gente da cidade vizinha veio pro velório, Conhecido feito ele só ,todo mundo queria dar o último adeus, jogar uma flor e um punhado de terra na sua derradeira morada.     Seu irmão Deocleciano viajou mais de quinhentos quilômetros pra assistir ao funeral ...

Ver mais »

Contos: O celular

Semana passada; não me recordo o dia, mas foi a semana passada, isso eu sei, fui ao Shopping Iguatemi comprar um celular, meu primeiro celular. Depois de muitas tentativas e desistências cheguei a “meia ponto zero” sem ter essa bendita invenção dos infernos.  Meu filho me ensinou a mexer, pelo menos tentou, porque velho pra aprender a fuçar nessas coisas ...

Ver mais »

Contos: A REZA QUE MINHA MÃE ENSINOU

A senhorita me dá o prazer dessa dança?…Assim era eu, cavalheiro e gentil, com minha calça de linho branco, camisa florida parecendo um turista americano, não existia donzela,sirigaita, mal-amada, viúva ou desquitada que me dissesse não, eu era o rei da festa, dançava tudo e com todas a noite inteira, até a lua dar até logo e o sol dizer ...

Ver mais »

Contos: PAPO VAI, PAPO VEM

      Você vai bater um papo com o capeta……..espera ai padre, não é nada disso que o senhor está pensando, não.                                        FIM      Alguns meses antes.      Diomedes ficou orfão de pai e mãe e foi morar ...

Ver mais »

CONTOS, A ANGELICAL FADINHA DA FLORESTA

Mimosa, Mimosa, onde está você? tá na hora de tirar o seu leite.     Quem está chamando a vaquinha é o seu Lindomar. Aquele bovino era praticamente parte da família daquele pobre e humilde sitiante.      Seu Lindomar, já era um velhinho, baixinho, nem preto, nem branco, cabelo minguado, banguelo, mais feio que a própria feiura, sua cônjuge ...

Ver mais »

CONTOS: A BOLINHA DE PING PONG VERMELHA

E nasce o Inácio. Conta a história que numa manhã chuvosa do mês de janeiro do ano de mil novecentos e bolinha, na maternidade Alice da Luz da cidade de Santo Antônio das Codorninhas, cidade esta, ao norte de um estado lá do norte. Veio ao mundo,  um menino que ganhou o nome de Inácio Pinto, primogênito de um casal ...

Ver mais »